Como ajudar o seu filho na adaptação à escola

Os primeiros dias da criança nem sempre são tranquilos. Não são raros os episódios de reclamações, choro e sofrimento. Tem ainda aqueles baixinhos que ficam bem dois ou três dias na escola, depois começam a resistir, fazem birra e choram muito.

Alguns pais estranham as reações dos pequenos e chegam a pensar que o problema está na escola. Ficam desconfiados.

Embora existam escolas negligentes, não é o que acontece nas boas instituições. Elas estão preparadas e acostumadas a lidar com essas situações. No Platão, existe inclusive a possibilidade de um período de adaptação, com a presença de familiares.

Não significa, porém, que os pais estão livres de estresse e ansiedade.

Na verdade, nas primeiras semanas de aulas, é muito comum andar pelos corredores de uma escola e, vez ou outra, escutar choro de criança.

Por que isso acontece, se a escola é um ambiente especializado em educação? Simples, porque as crianças estranham o novo ambiente e todas as pessoas ali envolvidas.

É um prédio diferente, gente diferente, coleguinhas desconhecidos. Tudo novo e em dimensões muito maiores do que as experimentadas até aquele momento pelos pequenos.

Como os pais podem lidar com este momento?

A primeira coisa é conversar bastante com a equipe pedagógica da escola. Estar aberto ao diálogo e procurar conhecer as pessoas e todos os processos. Envolver-se. Manter-se arredio e desconfiado não ajuda.

Boas escolas não omitem informações. Ajudam a criar uma relação segura. Entretanto, precisam do apoio da família. A relação é de parceria.

A escola também vai orientar sobre os procedimentos que podem ser adotados para tornar a adaptação mais tranquila. Afinal, nos primeiros dias, pode ser importante que a criança leve de casa algum objeto que, de alguma maneira, lhe seja familiar, transmita a sensação de “estar em casa”. Pode ser um brinquedo, um travesseiro, uma manta…

Lembrem-se que a criança precisa de aconchego, mas também de firmeza. Os baixinhos percebem quando os pais estão inseguros. Confie na escolha que vocês fizeram. Se a escola foi bem recomendada e as pessoas estão disponíveis, não tenham medo. Seu filho(a) vai ficar bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *