A tecnologia a serviço da aprendizagem

Quem viveu a infância ou a adolescência nas décadas de 70 ou 80 vez ou outra deve fazer alguma viagem pelo túnel do tempo, aquela que transporta os adultos para os bons tempos da escola. Nessas horas, é provável que o cheirinho de álcool que as provas recém-rodadas no mimeógrafo exalavam venha à tona. E, além dessa recordação olfativa, outras lembranças ocupam o coração e a mente dos adultos. Esse sentimento de saudade é compreensível e até saudável, desde que não nos leve a divagar com frases como “no meu tempo era melhor”.

Para quem educa, seja na família ou em sala de aula, o presente é sempre tempo que interessa. Podemos compartilhar nossas lembranças com nossos filhos e/ou alunos, mas é importante avaliar que eles estão inseridos em um contexto peculiar, do qual também fazemos parte. E, quando pensamos em educação tecnológica, essa percepção é ainda mais evidente, afinal, o mimeógrafo ficou no nosso álbum de recordações e hoje temos à nossa disposição muitas ferramentas que auxiliam no processo de aprendizagem.

Foi pensando nessa reflexão que convidamos Carla Franco, da Zoom Education, para um bate-papo na TV Platão. Ela é graduada em Pedagogia e Psicologia e pós-graduada em Psicopedagogia. Também é especialista em Educação Infantil e Alfabetização, tem  MBA em Desenvolvimento Gerencial e Gestão de Pessoal e é autora de livros na área da educação e especialista em jogos educacionais. Com quase 30 anos de experiência docente, a professora hoje está à frente da empresa no departamento comercial, mas, como gosta de ressaltar, tem “sangue pedagógico”, ou seja, presta assessoria às escolas parceiras da Zoom com a autoridade de quem tem conhece a realidade de uma escola.

O Colégio Platão e Zoom Education são parceiros há 5 anos e, desde então, são oferecidas aulas curriculares de Educação Tecnológica, da Educação Infantil ao Fundamental II, e aulas extracurriculares de Robótica Lego para alunos de todos os níveis, inclusive do Ensino Médio. No ano de 2018, por exemplo, nossa equipe  conquistou o 2º lugar na etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica (provas práticas), o que garantiu participação para a etapa seguinte, em João Pessoa. Já a modalidade teórica em nível nacional teve 144.841 participantes e Marcus Carr, aluno do Terceirão 2018, apresentou um desempenho tão expressivo que foi convidado para fazer um minicurso específico, também em João Pessoa.

Carla Franco fez questão de ressaltar a amplitude da Educação Tecnológica. Habilidades como liderança, raciocínio lógico, organização e comunicação são desenvolvidas durante as aulas, independente da faixa etária. A partir de situações-problema,  crianças e adolescentes precisam buscar, juntos, soluções inteligentes. Essas experiências são valiosas porque conferem significado à teoria e os capacitam a enfrentar com competência os desafios que existem além dos muros escolares.

Quer saber mais sobre a tecnologia a serviço da aprendizagem? Acesse o link e acompanhe a entrevista na íntegra!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *